Buscar

PAPO DE BANDA - SCORCESE - T1 E7

por Flávio Almeida



Voltando aqui com o papo de banda, sétima entrevista da série e dessa vez, trocamos uma ideia com a Thaís Lopes, guitarrista e vocalista da banda Scorcese de São Paulo, que faz um indie rock/ alternativo poderoso! Conheci o som deles em 2018, quando tocamos juntos no Cerveja Azul em SP e logo na primeira música deles a banda me chamou atenção! Confere aí!

FAlmeida - Salve salve Thaís, bom para começar aqui nos conte como surgiu a Scorcese e a sua história com a música!

Thais Lopes - A Scorcese surgiu da ideia do nosso guitarrista Ted de ter uma banda de Indie Rock, a banda passou por algumas mudanças e estamos com essa formação a uns 2 anos ou mais que é da onde surgiu grande parte das músicas que temos hoje. Eu me interessei por música ainda criança, pela influência da minha família que é bastante musical e aprendi a tocar violão com 10 anos, sempre muito fã de bandas como Legião Urbana, Iron Maiden, Alanis Morissette e Oasis.

FAlmeida - Eu toco guitarra/ canto e ultimamente tenho prestado mais atenção nas linhas de voz para que fiquem mais descoladas das melodias do instrumental. Você faz isso muito bem na Scorcese! É algo em que você planeja ou acontece de forma natural?

Thais Lopes - É algo que acontece de forma natural, acredito que isso acontece porque eu sempre viajo um pouco quando estou cantando (risos).

FAlmeida - A Scorcese lançou o seu primeiro trabalho em 2018 e outro mais recente, em 2019. Como foi o processo de criação e gravação? Você já esteve em outro projeto musical autoral?

Thais Lopes - O processo de gravação foi algo único, eu nunca tinha passado por essa experiência de entrar em um estúdio e gravar algo próprio, sempre estive conectada com a música, mas nunca de forma tão profissional. Sempre escrevi bastante, mas tinha vergonha de mostrar isso para outras pessoas. O Broken Inside que foi o nosso primeiro trabalho, fala bastante da fragilidade do ser humano e de como podemos nos reerguer e seguir em frente independentemente da situação e o Behind Sad Pictures segue um pouco dessa linha de forma mais madura e gravar essas músicas e ver elas tomando forma é algo que nos dá muito orgulho.

FAlmeida - Quando há conciliação entre banda e outro trabalho, é sempre um grande desafio para fazer acontecer as atividades de banda, que demandam tempo, dedicação e dinheiro. Nos conte um pouco como é a organização para que a Scorcese se mantenha na ativa e produzindo e se há essa contemporaneidade entre a banda e outro trabalho.

Thais Lopes - Com certeza, é mui difícil conciliar a banda com os nossos trabalhos, mas como amamos muito música sempre tentamos criar uma agenda, analisar as coisas que queremos fazer e o quanto gastaríamos com aquilo. Dessa forma, conseguimos criar um pouco de conteúdo e fazer música com muita dedicação.

FAlmeida - Os temas das canções são muito bem retratados pelo instrumental e também através dos vídeos que vocês lançaram. É você quem escreve as letras? Nesse processo, durante a criação, já é possível pensar na estética também?

Thais Lopes - Dos dois álbuns que lançamos eu escrevi boa parte das letras, mas os meninos também contribuem nesse processo. Durante a criação pensar na estética fica mais fácil para mim, isso porque eu já vou sentindo a mensagem que aquela determinada música pode passar de forma visual.

FAlmeida - Vocês pensam em fazer turnês de média ou longa duração?

Thais Lopes - Sim, pensamos bastante nisso. Gostaríamos de em breve até tentar alguns Shows pelo Reino Unido ou Europa em geral.

FAlmeida - Eu estou nessa de tocar em banda desde 1999 e nos últimos anos, percebi que as casas estão mais bem estruturadas, as bandas têm equipamentos melhores e o cenário continua acontecendo, não como gostaríamos, mas está aí, funcionando! Qual a sua opinião sobre isso e nos conte como a Scorcese se encaixa e encontra o seu espaço para tocar e promover o próprio trabalho.

Thais Lopes - Sim, as casas possuem mais estruturas hoje em dia. O cenário para o rock está um pouco difícil, mas sempre conseguimos lugares legais para tocar e até fizemos uma versão de um festival nosso que intitulamos de SP ALT Festival. Acredito que as bandas podem se unir cada vez mais, para que o rock cada vez tenha mais espaço e mais estrutura nas casas de shows.

FAlmeida - A influência de vocês é muito bem retratada, mas com uma personalidade distinta. Na hora de compor vocês discutem em como serão retratadas as influências ou rola um senso de imprimir, principalmente com a sua linha de voz, a identidade da banda?

Thais Lopes - Quando criamos já sai bem natural a nossa identidade, no começo discutíamos muito isso e era mais difícil identificar o caminho que queríamos seguir de acordo com as nossas influências e objetivos. Mas com o tempo e bastante ensaio, ficou mais fácil quando a gente se juntava mostrava as ideias e íamos criando a linha daquela música, no final a gente encontrou uma fórmula que ajuda bastante a gente no nascimento de uma música e as influências vem de forma bastante informal.

FAlmeida - Você é afinada e sinto um controle da sua capacidade quando ouço a música de vocês. Você faz alguma preparação ou estudou alguma técnica para cantar?

Thais Lopes - Eu nunca fiz aulas de canto, mas como toco violão e guitarra também, os instrumentos me ajudaram a entender até onde eu posso ir com a minha extensão vocal, quando eu era mais nova cantava meio mal (risos). E eu sou apaixonada pelo feeling do momento, sentir a música e saber até onde você pode ir com ela, isso me ajuda bastante e fico muito grata que me achem afinada : )

FAlmeida - Thaís, eu gostaria de agradecer demais a sua disponibilidade em bater esse papo aqui comigo e os leitores do seguimos Fortes! Eu espero que a Scorcese tenha vida longa e vocês possam nos inundar com as canções maravilhosas que vocês fazem! Para encerrar aqui esse papo, nos conte quais são os planos da Scorcese, tem álbum vindo aí, tour? E deixa aqui o seu recado, obrigado!

Thais Lopes - Nossa a gente que agradece demais vocês e a oportunidade, gostei bastante das perguntas e fico feliz de gostarem do nosso som. Temos música nova vindo por aí, o nome dela é It´s My Sin e em breve estaremos gravando o clipe de Just Leave e depois disso planejamos marcar alguns shows. Mas uma vez muito obrigada de coração e vida longa e sucesso para todos nós!!!

FAlmeida - Concluímos aqui a sétima entrevista da primeira temporada que dessa vez, contou com a participação da Thais, vocalista e guitarrista da Scorcese de São Paulo. Sugiro a você que ainda não conhece, terminar esse texto e correr para conferir o trabalho dela junto com a banda e se encantar com essa música bem composta, bem tocada e muito bem expressada pelas vozes da Thais.

Destaco aqui The New One, single lançado em 2019 juntamente com um videoclipe muito criativo, câmera fixa e expressões que retratam a letra da canção! O sobe e desce emocional me agrada muito e essas sensações está também impressa no instrumental, com uma vibe 90’s e refrão marcante!

A outra música que indico é Take It, do EP de estreia da banda lançado em 2018 chamado Broken Inside. Mais uma de estrutura impecável, intro, verso, refrão e ponte, receita infalível! Mais uma vez o refrão em destaque e o instrumental forrando para os vocais! Essa canção também tem um vídeo clipe disponível, mostrando a banda em ação em PB.





64 visualizações
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

© seguimosfortes 2019