Buscar

5 perguntas com a banda CANNON OF HATE

Atualizado: 8 de Out de 2019


Trocamos uma breve ideia com o Sandro Turco vocalista da banda Cannon Of Hate, ele falou sobre o inicio da banda, o que ele tem achado do atual momento no cenário underground, a inspiração pra compor as letras, transformação da banda de quarteto pra quinteto e também sobre a troca na formação, se liga:


Fininho: Como foi que a Cannon Of Hate surgiu?


Sandro Turco: O Cannon of Hate se formou em novembro de 2013 assim que a banda em que Eu e o Charles Mafra tocávamos acabou, o "Artany", então nos juntamos com o Marcos Alves e o Mac Gomes que faziam parte da banda "Lasívia" também de Cubatão.



Fininho: Qual é a sua visão do cenário underground hj?


Sandro Turco: O cenário continua rolando lindamente ao contrário do que muitos acomodados dizem por ai, tem muita banda gerando material ou organizando eventos, vemos que as bandas estão fazendo as paradas no D.I.Y e isso é muito foda, claro que a ideia é sempre melhorar cada vez mais, mas ver que tem muita gente envolvida e empenhada nesse corre é do caralho.


Fininho: Sabemos o quanto é difícil viver de música no Brasil, ainda mais se tratando de Punk Rock e Hardcore ( isso apenas pra citar alguns estilos musicais ), como vocês conseguem conciliar trabalho, família e ainda tocar por diversos lugares da baixada santista, São Paulo e até outros estados ?


Sandro Turco: É bem difícil conciliar tudo e não pirar rs, mas geralmente fazemos acordo com nossos patrões e pedimos liberação pra poder viajar na sexta feira, é sempre bem corrido por que a gente sai na sexta de manhã, toca os 3 dias e temos que voltar no domingo pra trabalhar na segunda ( as vezes tem que ir direto pro trabalho ), e também temos que nos preparar pois deixamos nossas famílias em casa para fazer isso. Eu o Márcio e o Marcos temos filhos, então é mais responsa ainda.

Se não amar a parada, você não aguenta rs.



Fininho: Como você descreveria o som da Cannon Of Hate? Não apenas na questão de estilo, mas também no quesito sentimento? O que te inspira a pegar o papel e a caneta e compor as letras?


Sandro Turco: A Cannon é uma banda de hardcore que é um subgênero do punk, movimento criado por negros e todos que eram contra o sistema, o som tem influências de bandas que variam desde o New Metal até o Fast Hardcore.

Nas composições, tudo que rola no nosso cotidiano meio que influencia nas letras, acontece muita coisa errada que enxergamos, assuntos delicados que estão acontecendo de maneira escancarada no nosso país também dão muita inspiração pra escrever.



Fininho: Soube que recentemente a banda sofreu alterações na formação, passou de quarteto para quinteto, trocou também de guitarrista solo, você pode nos contar como foi esse processo ?


Sandro Turco: Sim... No começo desse ano, o Márcio Parducci entrou na banda para fazer dupla na guitarra com o Charles, porém algum tempo depois o Charles optou por deixar a banda e cuidar de questões pessoais que precisavam da sua atenção. Procuramos um novo guitarrista durante um bom tempo, enquanto isso o Clay Borges ( Sempre e Vesta ) tocou com a gente em alguns shows, mas nesse mês ( Setembro ) o Lucas Babler ( S.F.A.C ) assumiu a outra guita e a banda seguirá de agora em diante com a seguinte formação: Sandro turco - vocal, Mac Gomes - Baixo, Marcos Alves - bateria, Márcio Parducci - guitarra e Lucas Babler - guitarra.



Fininho: Muito obrigado por trocar essa ideia com a Seguimos Fortes Sandrão, gostaríamos que deixasse uma mensagem pra galera que tá acompanhando essa entrevista e também para as bandas que estão na correria assim como a Cannon Of Hate.


Sandro Turco: Eu que agradeço pelo convite pra trocar essa ideia e desculpa pela demora (risos).

A mensagem que eu tenho é a seguinte:

Pra galera não desanimar nunca, lutar sempre pelo o que acredita, e ao invés de esperar os sonhos acontecerem do nada, que elas possam plantar os sonhos e assim poderem colher coisas boas no futuro, e não apenas esperar que as coisas simplesmente caiam do céu ou venham de mão beijada.


0 visualização
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

© seguimosfortes 2019