Buscar

5 perguntas com a banda BE GOD

Atualizado: 27 de Nov de 2019

Entrevistamos o Alex da banda BE GOD, se liga!

Luiz: Alex, primeiramente, como é de costume, muito obrigado por participar da entrevista. Conta pra gente como começou a banda é da onde saiu esse nome?

Alex: O Be God surgiu em 2010 e a nossa proposta sempre foi de não compor mas “decompor” fazendo versões de clássicos da música brasileira. Quando resolvemos montar a banda, como uma espécie de protesto queríamos mudar o ponto de vista de qualquer música, fazer as pessoas ouvirem a músicas de um jeito diferente, transformando as coisas dentro de suas perspectivas, com uma mensagem positiva. O nome da banda é um trocadilho com a palavra “bigode” dai o nome BEGOD e vem da influência do movimento Dadaísta que colocaram um bigode na Monaliza e nossa ideia é por um bigode na música brasileira, e por trás do trocadilho “bigode” trazemos uma ideia filosófica do nome com o sentido “Seja Deus”, para que as pessoas se conscientizem da responsabilidade que tem sobre seus atos e sua vida e que pode transformar o que te incomoda ou o que não gosta.

Luiz: Qual o atual momento de vocês?


Alex: Atualmente estamos focados no lançamento do terceiro videoclipe da trilogia “Extravasa”, que leva o nome do nosso primeiro CD. Essa festa de lançamento acontece agora no dia 14 de dezembro no Rising Power Estúdios em Santo André a partir das 16h, vai valer muito a pena, compareçam!

Luiz: Quais os planos futuros?

Alex: Apesar de estarmos tocando muito, queremos dar continuidade no nosso projeto de versões nos próximos anos, estamos sempre sendo convidados para participar de grandes festivais como Los Muertos, Zombie Walk SP, fizemos também a abertura do primeiro e único show do Me First and the Gimme Gimmes no Brasil, isso é bom porque estamos sempre na ativa e pensando em renovar o repertório de canções para “decompor”, tocar em mais lugares pelo país, é muito legal ver que as pessoas querem conhecer nosso trabalho mais de perto, comparecem em peso nos shows, é gratificante para bandas independentes como nós.

Luiz: O que acham da cena aqui no estado de são Paulo/ABC?

Alex: A cena para bandas independentes no Brasil em geral é complicada é difícil, só a divulgação pelo site da banda e redes sociais é apenas uma parte da luta, apesar das facilidades proporcionadas pela internet quando as bandas disponibilizam suas músicas para download, plataformas de streaming, etc. Muitas sonham em viver de música, quem não sonha né?, mas é muito difícil um contrato grande com uma gravadora, um show grande também. Aqui na região do ABC as casas até que recebem bem as bandas independentes, diferente de São Paulo, mas isso também é por conta de nos juntarmos aos coletivos e a outras bandas da região para ter um pouco de espaço. Acho a cena do abc incrível.

Luiz: No atual momento político brasileiro qual a posição de vocês referente a tudo isso?


Alex: Somos contra qualquer tipo de censura, opressão, fanatismo e hipocrisia. Gostaria de deixar claro que qualquer um que se sinta excluído ou marginalizado é bem vindo aos nossos shows.


OUÇA BE GOD:



0 visualização
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

© seguimosfortes 2019